Especialidades Terapia da Fala Cuide da sua voz!

Cuide da sua voz!

voz profissional

 

Autor: Terapeuta da Fala Dalva Lucena

O êxito profissional de um professor, formador, jornalista, locutor ou de tantas outras profissões que exigem contato com público depende, em grande parte, do conhecimento sobre um dos seus instrumentos de trabalho – a voz. E hoje, dia Mundial da Voz, venho explicar um pouco mais acerca de como utilizar, conservar e optimizar a voz da forma mais adequada.

Para melhorar a expressão oral podemos consultar um terapeuta da fala, até porque o envelhecimento também afecta as cordas vocais, que atingem a sua máxima eficiência entre os 25 e os 45 anos de idade, momento a partir do qual se deparam com processos como a atrofia dos músculos, dando-se ainda a perda da elasticidade dos seus ligamentos e o inchaço e a calcificação das cartilagens da laringe, fenómenos que resultam na perda de velocidade e de potência a que é projetada a voz e, em alguns casos, na manifestação de leves tremores.

  

A Voz -O Instrumento essencial

A voz é produzida na laringe. O ar sai dos pulmões (expiração) em alta velocidade e passa pela laringe, onde estão localizadas as pregas vocais. O que acontece de seguida é que as cordas vocais começam a aproximar-se e vibram, produzindo uma onda sonora – a voz. Este som, que de início é baixo e fraco, é amplificado pelas cavidades de ressonância (faringe, boca e nariz). Depois de amplificado, o som será articulado na cavidade oral, por meio dos articuladores: lábios, bochechas, língua, palato e mandíbula. Este processo é designado por fonação.

De acordo com a literatura, a voz é o resultado da combinação de factores biológicos, psicológicos e sociais, portanto está presente na representação dos vários papéis sociais que as pessoas desempenham no seu dia-a-dia.

Neste contexto, por exemplo, o impacto do professor/formador na vida profissional de um aluno é incalculável, uma vez que a sua voz, instrumento fundamental de trabalho, exerce um papel indispensável nesse relacionamento, visto que ela enriquece a transmissão do conteúdo, acrescentando à mensagem teor emocional, entoação e expressividade.

A voz está diariamente exposta a inúmeros fatores de agressão que se prendem com a falta de higiene vocal, com o uso indevido da voz e até com o seu abuso. Portanto, percebe-se que cuidar da voz nem sempre é uma tarefa fácil e quase nunca é encarada como uma prioridade, face à enorme demanda de responsabilidades que os profissionais que utilizam a voz como ferramenta de trabalho enfrentam diariamente.

   

Aquecimento vocal

Antes do uso profissional da voz, é indispensável que o formador realize o aquecimento vocal através de exercícios capazes de proporcionar um alongamento da musculatura cervical e do tracto vocal, flexibilidade vocal e precisão articulatória. Seguem-se alguns exemplos. 

  • Rotação de ombros para trás durante 15 segundos;
  • Inclinação da cabeça para baixo e para os lados esquerdo e direito durante 15 segundos cada;
  • Emissão de sons facilitadores, para tonificar as pregas vocais:
  • Vibração dos lábios: devem-se levar os lábios à frente e deixá-los completamente relaxados, para que a passagem do ar entre eles os faça vibrar. O resultado desta vibração lembra a pronúncia conjunta das letras “Brrrrr Brrrrr Brrrrr”.
  • Vibração da língua: executa-se a vibração da língua associando a mesma a movimentos de cabeça (sim, não e talvez), três vezes cada movimento. Essa vibração lembra uma pronúncia exagerada das letras “Drrrrrr Drrrrrr Drrrrrr”.
  • Emissão da letra “M” internamente: para a emissão correcta deste som, deve-se cerrar os lábios e imaginar um espaço dentro da boca o suficientemente grande para caber uma bola de pingue-pongue. O som deste exercício lembra a pronúncia do número um, porém prolongada e com a boca fechada “Mmmmmmm”.
  • Para melhorar a dicção: repete-se em primeiro lugar a sequência de sílabas: Si Fu Xi Pá 
  • De seguida, repete-se a sequência de vogais abertas e nasaladas: A-ÃN, E-EN , I-IN

 

Questões frequentes

 

Porque é que a voz é tão importante para o professor/formador?

Porque a voz carrega as palavras e também passa a mensagem emocional ligada a elas. Todos já  passámos pela experiência de, por um simples “olá”, percebermos um tom de alegria ou de preocupação. O som da voz tem a dupla função de informar conteúdo e de transmitir sentimentos. No caso particular dos professores/formadores, a voz ensina, controla os formandos, demonstra atenção e carinho e é o principal recurso de transmissão do conteúdo da formação.

 

Porque é que os professores/formadores têm tendência a ter problemas de voz?

Porque estes profissionais usam a voz constantemente, assim como os atletas usam os músculos do corpo. Contudo, ao contrário dos desportistas que se submetem a treinos específicos e desenvolvem uma preparação física adequada para resistir ao desgaste de sua profissão, é raro que um formador tenha este mesmo cuidado em relação ao seu instrumento de trabalho: a sua voz. Para além disso, a voz, para ser efectiva, tem de contar com a ajuda de condições ambientais e acústicas que favoreçam a sua projecção e, muitas vezes, isso não acontece nas salas de formação. 

 

Como é que se sabe se temos problemas de voz? 

  • Se a voz se modificou nos últimos tempos.
  • Se durante as férias a voz é projectada com maior eficiência do que durante o período laboral.
  • Se para falar necessita de fazer alguma força.
  • Se ao final do dia a sua voz estiver fraca, rouca e/ou cansada.
  • Se teve de mudar o seu estilo de aula por causa da voz.
  • Se sente algum incómodo ao falar.
  • Se se identificar com alguns destes cenários é possível que esteja com algum problema que mereça ser investigado com a devida atenção. Nesses casos, o mais indicado é procurar um terapeuta da fala e um otorrinolaringologista (médico especialista em ouvidos, nariz e garganta). 

 

O que prejudica a voz?

O fumo e o álcool são reconhecidamente os principais fatores prejudiciais à saúde vocal. Consumidos em excesso podem favorecer a formação de cancro da laringe e, potencialmente, à sua retirada parcial ou total, ficando o indivíduo afónico (perda total da voz). No entanto, existem outros fatores prejudiciais a considerar, tais como: tomar café ou chá em excesso; falar num tom agudo ou grave demais; falar alto (gritar); falar demais quando se está doente, cansado ou após uma noite mal dormida; imitar vozes de terceiros; sussurrar; viver em ambiente empoeirado, com mofo e com pouca ventilação; mudanças bruscas de temperatura; tomar bebidas geladas constantemente; ingerir alimentos muito condimentados; usar roupas apertadas na região do pescoço, tórax e cintura; apresentar azia, má digestão ou refluxo gastroesofágico constantes.

 

Dicas para uma voz saudável

Apesar de serem vários os fatores que podem agredir e afectar a saúde vocal, também existem, na mesma medida, alguns truques que se poderão levar a cabo de modo a manter a voz saudável, tais como:

  • Desenvolver uma escuta diferenciada, prestando atenção à sua voz e à voz dos outros;
  • Manter uma postura correcta enquanto trabalha com a voz, alinhando o eixo cabeça-pescoço-costas de uma forma relaxada;
  • Reduzir a força com que fala;
  • Comer maçãs, pois estas têm um efeito adstringente que limpa e dilui as secreções da boca e da garganta;
  • Praticar desportos que estimulem o sistema cardiorrespiratório;
  • Respeitar os horários de refeição e de descanso;
  • Praticar o repouso vocal após o uso intensivo da voz;
  • Introduzir melhorias no seu ambiente físico de trabalho, tais como evitar o uso de ar-condicionado, pois provoca a secura das pregas vocais. Se não for possível, beba muita água para as lubrificar. Deve ainda assegurar-se de que o ambiente onde trabalha está livre de pó ou de cheiros muito fortes, sobretudo se for alérgico. Para além disso, o ideal é que as janelas tenham vidros duplos ou sejam insonorizadas, pois se houver ruído ambiente excessivo fará com que haja necessidade de forçar a voz. 

Existem alguns truques que se poderão levar a cabo de modo a manter a voz saudável durante as apresentações públicas: 

  • Usar roupas confortáveis, principalmente na região do pescoço, cintura e tórax, para evitar tensões nestas regiões no momento da locução, dificultando assim a boa fonação;
  • Constante manutenção da hidratação (beba em média 2 litros de água por dia e durante  as apresentações, de modo a reduzir o atrito entre as pregas vocais);
  • Devem ser evitados líquidos em temperatura muito elevada, pois agridem a mucosa da boca e do tracto vocal, dificultando a produção da voz;
  • Manter uma dieta equilibrada, evitando o excesso de gordura e de alimentos condimentados que deixam o processo digestivo mais lento, limitam a capacidade respiratória e reduzem a energia disponível para o uso da voz;
  • Quando estiver rouco ou cansado, deve usar a voz mais baixa, mas sem sussurrar, pois este pode ser um esforço adicional. Fale de uma forma mais lenta, articulada e modulada, use frases curtas e desenvolva actividades com os formandos que exijam menos da sua voz;
  • Monitorize a sua voz, ou seja, aprenda a ouvi-la e a reconhecer as suas sensações de esforço vocal e de tensões desnecessárias, com o fim de as evitar;
  • Nunca se auto-medique e não repita receitas médicas utilizadas numa certa ocasião, mesmo que tenham dado resultado positivo.

Não se esqueça: CUIDE DA SUA VOZ e, em caso de dúvida, procure sempre ajuda especializada!

Imagem cortesia de Pixomar/FreeDigitalPhotos.net

 

Marcações

telemóvel91 777 00 62

Especialistas em Terapia da Fala, Psicologia e Terapia Ocupacional

50% de desconto na 1ª Consulta

Até 31/03/2017!

Marcação Online

 

Contatos

telemóvel91 777 00 62

email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

facebook facebook.com/faleconnosco.saude

blogspotfaleconnosco-saude.blogspot.com