Especialidades Psicologia Estratégias para ajudar o seu filho a estudar

Estratégias para ajudar o seu filho a estudar

estratégias-estudar

 Troels Graugaard/Getty Images

Artigo publicado no Portal InspireSaúde, na revista ABCriança e no Portal Barrigas de Amor

 

Autor: Psicóloga Carla Pereira

Com o mês de setembro chega também o regresso às aulas, altura de alguma ansiedade para pais e filhos. É tempo de comprar os materiais escolares, conhecer professores e colegas e, como não podia deixar de ser, começar a estudar. Esta é uma das principais preocupações dos pais, que muitas vezes se questionam sobre a melhor forma de ajudar os filhos a alcançar o sucesso escolar. É fundamental que, desde início, os pais se mostrem atentos à evolução escolar dos seus filhos e se envolvam nas suas rotinas escolares, mantendo com a Escola uma relação de parceria e uma comunicação regular.

1.     A importância da motivação

Não há estudo sem motivação. É por isso importante realçar a importância dos pais no que respeita à motivação dos filhos para a aprendizagem. Motivar para o estudo não implica oferecer recompensas materiais cada vez que o seu filho obtenha sucesso. A motivação deverá ser algo intrínseco, isto é, a aprendizagem e o sucesso escolar devem ser gratificantes para a criança e, só por si, constituir um “prémio”. Contudo, as crianças valorizam muito a opinião dos adultos, em particular a opinião dos pais. Estes devem por isso mostrar-se atentos aos progressos e dificuldades dos filhos, reforçando positivamente cada evolução. Os pais devem elogiar o esforço dos filhos enquanto alunos e salientar as suas competências com regularidade, pois isto irá certamente promover a sua motivação e autoconfiança. A criança gostará de estudar para se sentir realizada e competente mas também para satisfazer as expetativas da família, que mostra acreditar em si e no seu sucesso. Contudo, é necessário deixar um alerta aos pais: expetativas demasiado elevadas e uma excessiva exigência poderão ter um efeito negativo no desempenho escolar do seu filho, que passará a ver a escola como algo gerador de medo e ansiedade.

2.     Métodos e estratégias de estudo eficazes

“Ele não sabe estudar!”. Esta é uma das principais queixas dos pais, cujos filhos não conseguem obter o rendimento escolar pretendido. Insucessos repetidos conduzem muitas vezes a níveis de frustração e ansiedade crescentes em pais e filhos. Para combater isso, deixamos-lhe algumas sugestões de como ajudar o seu filho a estudar, ensinando-lhe estratégias mais eficazes e rentabilizando o seu tempo de estudo.

2.1. O local de estudo

As características do local de estudo podem contribuir de forma determinante para o sucesso escolar do seu filho. Um espaço adequado deve ter boa iluminação; deve estar bem arrumado e organizado (livre de brinquedos ou outros objetos que possam distrair); estar bem ventilado; e ter uma temperatura agradável para permitir uma melhor concentração. O barulho excessivo pode também interferir negativamente no estudo e, como tal, o local escolhido para as tarefas escolares deve ser silencioso. O mobiliário é também importante quando se fala no espaço físico. Não é aconselhável que o seu filho estude deitado no sofá ou na cama, pois esta postura, para além de não favorecer a concentração e a qualidade dos trabalhos escolares, traz também danos para a saúde.

2.2. A gestão do tempo

Mais vale trabalhar 30 minutos por dia do que estudar duas horas na véspera de uma avaliação. Isto é especialmente importante para matérias cujo estudo se torna desagradável e desmotivador e cuja compreensão e memorização necessitam de tempo para se consolidarem.

Ajude o seu filho a elaborar um horário semanal. Marque o tempo de aulas, tempo para transportes, atividades desportivas (ou outras atividades extraletivas) e o tempo de estudo.

Devem distribuir o tempo de forma equilibrada, juntando disciplinas menos motivantes com disciplinas que o seu filho considere mais interessantes.

Outra estratégia passa por estudar primeiro as disciplinas difíceis, enquanto os níveis de concentração são mais elevados, e passar depois para as disciplinas mais fáceis.

Os períodos de estudo devem ter duração de cerca de 40-50 minutos, fazendo pausas de 5 minutos para arrumar o material, “esticar as pernas”, ou simplesmente descansar. É preciso ter cuidado para que estes intervalos não se prologuem e acabem por quebrar o ritmo e a motivação do seu filho para o estudo.

2.3. Os apontamentos

Os apontamentos são uma ótima estratégia de estudo. Contudo, há que salientar algumas regras importantes. O seu filho não deve transcrever excertos dos manuais ou do caderno sem compreender o seu conteúdo. O aluno deve reescrever por palavras suas os aspetos que considerou mais importantes daquilo que estudou. Se ficou com dúvidas relativamente à matéria, deve esclarecê-las junto do professor, pesquisar no manual ou procurar outra fonte de informação fidedigna.

A realização de esquemas é outra estratégia útil para sistematizar a matéria e relacionar factos. Durante a leitura de textos é também importante que o seu filho saiba sublinhar o mais relevante, pois isto irá auxiliar mais tarde na elaboração dos apontamentos e resumos para os testes.

3.     Promover autonomia e responsabilidade…

É fundamental fomentar a autonomia do seu filho e a sua responsabilidade enquanto aluno.  As crianças devem interiorizar desde cedo que possuem controlo sobre as suas aprendizagens e que o seu sucesso escolar depende em grande parte do seu esforço. Os pais não devem “estudar” pelos filhos mas sim orientá-los no seu estudo, ajudando-os a descobrir as estratégias mais eficazes.

Existem pais que, devido à sua ansiedade face ao desempenho escolar dos filhos, tendem a fazer os apontamentos por eles, permanecem junto dos filhos durante o estudo, organizam a sua mochila e os seus materiais escolares, gerando assim grande dependência.  Nos primeiros anos de escolaridade é normal que exista uma maior supervisão no que respeita às rotinas e às tarefas escolares, contudo, à medida que o nível de escolaridade aumenta esta supervisão deve ser cada vez mais discreta.

Em jeito de conclusão, é importante salientar que cada aluno é único e, como tal, deve encontrar as estratégias de estudo que são mais eficazes para si. Não existem receitas mágicas, embora as sugestões aqui deixadas constituam estratégias de sucesso para a maioria dos alunos. Enquanto pai e mãe deve ajudar, supervisionar e orientar o trabalho do seu filho, no entanto, não deve assumir as suas responsabilidades, sucessos ou insucessos. Deverá sim promover a sua motivação, a sua autonomia e autoconfiança.

Marcações

telemóvel91 777 00 62

Especialistas em Terapia da Fala, Psicologia e Terapia Ocupacional

50% de desconto na 1ª Consulta

Até 31/03/2017!

Marcação Online

 

Contatos

telemóvel91 777 00 62

email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

facebook facebook.com/faleconnosco.saude

blogspotfaleconnosco-saude.blogspot.com